Requerimento de Comissões

Filtro
Texto
Autor
Ver. ADILSON AMADEU (DEM)
Ver. ALESSANDRO GUEDES (PT)
Ver. ALFREDINHO (PT)
Ver. ANDRÉ SANTOS (REPUBLICANOS)
Ver. ANTONIO DONATO (PT)
Ver. ARSELINO TATTO (PT)
Ver. ATÍLIO FRANCISCO (REPUBLICANOS)
Ver. AURÉLIO NOMURA (PSDB)
Ver. CAMILO CRISTÓFARO (PSB)
Ver. CARLOS BEZERRA JR. (PSDB)
Ver. CELSO GIANNAZI (PSOL)
Ver. CRIS MONTEIRO (NOVO)
Ver. DANILO DO POSTO DE SAÚDE (PODE)
Ver. DELEGADO PALUMBO (MDB)
Ver. DR SIDNEY CRUZ (SOLIDARIEDADE)
Ver. EDIR SALES (PSD)
Ver. EDUARDO MATARAZZO SUPLICY (PT)
Ver. ELAINE DO QUILOMBO PERIFÉRICO (PSOL)
Ver. ELI CORRÊA (DEM)
Ver. ELISEU GABRIEL (PSB)
Ver. ELY TERUEL (PODE)
Ver. ERIKA HILTON (PSOL)
Ver. FABIO RIVA (PSDB)
Ver. FARIA DE SÁ (PP)
Ver. FELIPE BECARI (PSD)
Ver. FERNANDO HOLIDAY (S/PARTIDO)
Ver. GEORGE HATO (MDB)
Ver. GILBERTO NASCIMENTO (PSC)
Ver. GILSON BARRETO (PSDB)
Ver. ISAC FELIX (PL)
Ver. JAIR TATTO (PT)
Ver. JANAÍNA LIMA (NOVO)
Ver. JOÃO JORGE (PSDB)
Ver. JULIANA CARDOSO (PT)
Ver. LUANA ALVES (PSOL)
Ver. MARCELO MESSIAS (MDB)
Ver. MARLON LUZ (PATRIOTA)
Ver. MILTON FERREIRA (PODE)
Ver. MILTON LEITE (DEM)
Ver. PAULO FRANGE (PTB)
Ver. PROFESSOR TONINHO VESPOLI (PSOL)
Ver. RENATA FALZONI (PV)
Ver. RICARDO TEIXEIRA (DEM)
Ver. RINALDI DIGILIO (PSL)
Ver. RODRIGO GOULART (PSD)
Ver. RUBINHO NUNES (PATRIOTA)
Ver. RUTE COSTA (PSDB)
Ver. SANDRA SANTANA (PSDB)
Ver. SANDRA TADEU (DEM)
Ver. SANSÃO PEREIRA (REPUBLICANOS)
Ver. SENIVAL MOURA (PT)
Ver. SILVIA DA BANCADA FEMINISTA (PSOL)
Ver. SONAIRA FERNANDES (REPUBLICANOS)
Ver. THAMMY MIRANDA (PL)
Ver. XEXÉU TRIPOLI (PSDB)
Tipo
Audiência Pública
Cancelamento
Convite
Convocação
Diligência
Informações
Manifestação
Providências
Reconsideração
Seminário
Solicitação
Subcomissão
Visita

Total: 792«« « 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 ... » »»


Comissão Número Ano Data Autores Texto Estado
EXTRA-Dir.Human 4 2021 21/04/2021
Ver. EDUARDO MATARAZZO SUPLICY (PT)
FIN 4 2021 16/03/2021
Ver. JAIR TATTO (PT)
À Comissão de Finanças e Orçamento, Tendo em vista que a Secretaria Municipal de Cultura registra cortes orçamentários no valor de R$ 35,4 milhões, desconsiderando as decisões desta Egrégia Casa legislativa referente ao orçamento de 2021. Requeiro, com fundamento nos artigos 55 e 56 do Regimento Interno desta Casa, que seja submetida ao Plenário desta Comissão de Finanças e Orçamento, a proposta de instalação da Subcomissão de Cultura, destinada ao estudo, análise e debate de projetos de lei, programas e projetos, composta por três membros, com prazo de 120 dias, prorrogáveis pelo mesmo período. Atendido
SAUDE 4 2021 17/02/2021
Ver. LUANA ALVES (PSOL)
Considerando a situação da pandemia da Cidade de São Paulo, o crescimento de casos de COVID-19; Considerando que o Hospital Sorocabana foi reaberto parcialmente o ano passado com 27 leitos para tratamento do COVID-19, bem como fora noticiado nos meios de comunicação que a reforma realizada pela Prefeitura de São Paulo custou R$ 2,4 milhões com um gasto mensal estimado para manutenção de nova área de R$ 3,2 milhões por mês, e que teria novos 55 leitos; Considerando diversas reclamações de usuários e servidores quanto a realidade do Hospital Sorocabana; Requeiro, nos termos regimentais, que esta COMISSÃO realize uma DILIGÊNCIA in loco em dia e hora marcada pela Presidência desta Comissão, para tomar conhecimento da estrutura e atendimento realizado, especialmente a ala de atendimento ao COVID-19. Aguardando agendamento
URB 4 2021 23/02/2021
Ver. ANTONIO DONATO (PT)
À Comissão de Politica Urbana, Metropolitana e Meio Ambiente, Sr. Presidente, Considerando o Contrato nº 025/SMSO/17, celebrado com o Consórcio Central, inscrito no CNPJ/ MF sob o nº 27.435.768/0001-44, tendo por escopo a elaboração de projetos executivos e execução das obras de requalificação e reurbanização do Vale do Anhangabaú e entorno – Processo SEI nº 7910.2019/0000349-6; Considerando o Contrato de Concessão firmado pela Municipalidade por intermédio da empresa SÃO PAULO OBRAS – SPObras com a Concessionária ÓTIMA – CONCESSIONÁRIA DE EXPLORAÇÃO DE MOBILIÁRIO URBANO S.A para a manutenção e conservação de abrigos em ponto da parada de ônibus ou em estações de embarque e desembarque e de pontos/totens indicativos de ponto de parada de ônibus existentes, bem como, a criação, confecção, instalação e manutenção de totens indicativos de parada de ônibus, abrigos em ponto de parada de ônibus e estações de embarque e desembarque de passageiros, com exclusividade na exploração publicitária; Considerando por fim a finalidade de cumprir a função constitucional conferida ao Poder Legislativo de fiscalizar e controlar os atos do Poder Executivo, inclusive os da Administração Indireta; REQUEIRO, nos termos regimentais, que seja convidado o Sr. MARCOS MONTEIRO, PRESIDENTE DA SPOBRAS e SECRETÁRIO MUNICIPAL DE INFRAESTRUTURA URBANA E OBRAS, para prestar informações aos membros dessa Comissão acerca dos referidos contratos. Aguardando assinatura do Ofício na Presidência da CMSP
ADM 3 2021 17/03/2021
Ver. GILSON BARRETO (PSDB)
Considerando o Ofício n.º 0114/2021 do Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública e Autarquias do Município de São Paulo – SINDSEP datado em 17/03/2021 encaminhado à Comissão de Administração Pública; Considerando os fatos relatados no expediente relacionados ao Pregão Eletrônico n.º 041/SFMSP/2020 (Processo SEI 6410.2020/0012935-0), que teve como objeto a “Contratação de empresa especializada para a prestação de serviços de translado funerário, para atender os segmentos de remoções, enterros e viagens, incluindo veículos 0 (zero) quilometro adaptados para translado de corpos, com motorista, com combustível e quilometragem livre - pelo período de 6 (seis) meses.” pelo Serviço Funerário do Município de São Paulo; Na qualidade de Presidente da Comissão de Administração Pública, requeiro, nos termos do artigo 82, § 1º da Lei Orgânica do Município de São Paulo, que seja enviado ofício ao Ilmo. Sr. DÁRIO JOSÉ BARRETO, Superintendente do Serviço Funerário do Município de São Paulo, para que no prazo legal, encaminhe por escrito a esta Comissão de Administração Pública os esclarecimentos pertinentes ao contido no ofício do Sindicato dos Trabalhadores na Administração Pública e Autarquias do Município de São Paulo – SINDSEP, anexando os documentos necessários à elucidação dos fatos. Retirado pelo autor
ECON 3 2021 25/02/2021
Ver. RICARDO TEIXEIRA (DEM)
DUPLICADO (FOI CANCELADO) Arquivado
EDUC 3 2021 16/02/2021
Ver. EDUARDO MATARAZZO SUPLICY (PT)
Senhor Presidente da Comissão de Educação, Cultura e Esportes, Conforme notícia veiculada em 15.02.2021 no “O Estado de São Paulo” (endereço https://educacao.estadao.com.br/noticias/geral,volta-as-aulas-presenciais-na-rede-municipal-de-sp-tem-clima-de-fase-de-testes,70003617182) relacionada à volta às aulas presenciais na rede municipal da Cidade, servimos- nos do presente para requerer a Vossa Excelência, as seguintes informações ao Poder Executivo: Considerando que não houve rescisão dos contratos administrativos de limpeza nas escolas por conta da pandemia: 1- Qual a ocorrência relacionada à falta de serviços de limpeza em 530 escolas que não estavam aptas a receber os alunos? 2- Quais os contratos vigentes e/ou que estavam vigentes em 2020 para esses serviços e seus respectivos Processos Administrativos? 3- Houve rescisão de algum contrato de limpeza de escola? Quais e por quais razões? 4- Qual a razão da lavratura de contratos de conservação e limpeza de instalações prediais nas escolas por Dispensa de Licitação (emergenciais), conforme autorização publicada no DOC 13.02.21 – pg. 66? 5- Há Processos Administrativos autuados visando a realização de licitação para os referidos serviços? Considerando que as escolas permaneceram sem atividades presenciais dos alunos por praticamente 1 ano: 1- Quais as 50 escolas que passam por reformas e ainda não estão em condições de funcionamento regular? 2- Quais os tipos de intervenção ou reformas que estão sendo realizadas em cada uma delas? 3- Quando foram iniciadas as referidas reformas nas escolas? 4- Qual a previsão de liberação destas unidades? Atendido
EXTRA -AMBIENTE 3 2021 22/04/2021
Ver. ALESSANDRO GUEDES (PT)
EXTRA-Dir.Human 3 2021 20/04/2021
Ver. DR SIDNEY CRUZ (SOLIDARIEDADE)
FIN 3 2021 02/03/2021
Ver. JAIR TATTO (PT)
CONSIDERANDO que é da competência desta comissão examinar e emitir parecer sobre os planos, programas e ações municipais, bem como cobrar a falta de ações necessárias para o cumprimento da legislação e em especial fiscalizar a utilização dos recursos públicos. REQUEIRO, na forma regimental, seja realizada uma audiência pública por mês para discutir principais temas da cidade, de março a setembro, totalizando 7 audiências. Cada seminário seria composto por três a quatro mesas, com participações dos vereadores, Executivo, TCM, CTEO e acadêmicos. Seminários Audiência Pública Temas: i) Desenvolvimento Urbano, Emprego e Renda; ii) Habitação; iii) Mobilidade e Transportes; iv) Cultura; v) Educação; vi) Saúde; e vii) Direitos Humanos e Assistência Social Aguardando agendamento
SAUDE 3 2021 18/02/2021
Ver. LUANA ALVES (PSOL)
Considerando a situação da pandemia na Cidade de São Paulo, o crescimento dos casos de COVID-19; Considerando o anúncio do retorno das aulas e das atividades das assistências sociais, e protocolos de distanciamento e cuidados com a contaminação e a saúde pública; Requeiro, nos termos regimentais, sejam CONVIDADOS os seguintes secretários municipais: Secretária Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social – Sra. Berenice Maria Giannella (Rua Libero Badaró, 561/569 – Centro – São Paulo / SP - CEP 01009-000); Secretário Municipal de Educação – Sr. Fernando Padula (Rua Borges Lagoa, 1230, Vila Clementino – CEP 04038-003), para apresentar a essa Comissão, dentro de suas respectivas pastas, as seguintes questões, além de outras que possam ser de interesse desta Comissão: 1- Quais os protocolos de saúde utilizados, e desde quando? 2- Qual o fluxo de RH (pessoas) para garantir a segurança sanitária das unidades? 3- Qual o tipo de monitoramento das atividades presenciais? 4- Qual procedimento, no caso de algum servidor público ou usuário da unidade tenha sintomas ou testado positivo para o COVID-19? 5- Qual a frequência de testes feitos nos servidores e usuários? 6- Quais EPIs são disponibilizados? Qual quantidade? Qual periodicidade da entrega e troca dos mesmos? 7- Qual procedimento para substituição emergencial dos servidores públicos e contratados da rede indireta afastados por serem grupo de risco? Aguardando agendamento
URB 3 2021 18/02/2021
Ver. PAULO FRANGE (PTB)
Sr. Presidente da Comissão de Política Urbana, Metropolitana e Meio Ambiente Considerando a Resolução Federal CGSIM nº 64, de 11 de dezembro de 2020, sobre a classificação de risco no direito urbanístico para os fins do inciso I do caput e inciso II e do § 1º do art. 3º da Lei nº 13.874 de 20 de setembro de 2019, bem como para o inciso I do art. 19 do Decreto nº 10.178, de 18 dezembro de 2019. Considerando que essa Resolução estabelece a prática mundial de balcão único para a maior parte dos tipos de obras licenciadas possíveis. E que a Prefeitura, Corpo de Bombeiros e Órgãos Fazendários receberam imediatamente as informações. Considerando que a resolução aponta uma matriz de risco para os licenciamentos de direito urbanístico no Brasil alinhada aos conceitos da Lei de Liberdade Econômica Considerando que essa Resolução libera atos públicos: I - autorizativo de obra para fins de autorizar o início, meio ou fim de atividade de construir, reformar, manter, movimentar ou restaurar a edificação, equipamento, estrutura, instalação, imóvel e outros, incluindo: a) alvará, autorização ou licença de construção; b) alvará, autorização ou licença de reforma; c) alvará, autorização ou licença de implantação de edificação; d) alvará, autorização ou licença de demolição; e) alvará, autorização ou licença de instalação; f) aprovação de projeto técnico de proteção contra incêndio, pânico e emergências; e g) demais da mesma natureza, sob qualquer denominação. II - de habilitação urbanística para fins de reconhecimento, habilitação, declaração ou constituição de adequação de obra concluída para uso, ocupação, habitação ou relacionados de edificação, equipamento, estrutura, instalação, imóvel e outros, incluindo: a) "Habite-se"; b) alvará, autorização ou licença de uso e ocupação; c) alvará, autorização ou licença de funcionamento de edificação ou estabelecimento; d) habilitação de proteção contra incêndio, pânico e emergências; e) auto de vistoria de edificação; f) alvará de conservação; g) auto de conclusão; h) alvará ou certificado de conclusão; i) relatório ou aprovação de estudo de impacto urbanístico; j) demais da mesma natureza, sob qualquer denominação. Considerando tipo de estrutura: a classificação da complexidade e porte da instalação ou edificação entre os níveis ALFA, BETA, GAMA, DELTA e ÔMEGA. Considerando que as classificações de risco constantes nesta Resolução são: I - "BAIXO RISCO A" ou Nível de Risco I ou "baixo risco": para os casos de risco leve, irrelevante ou inexistente; II - "BAIXO RISCO B" ou Nível de Risco II ou "médio risco": para os casos de risco moderado; e III - "ALTO RISCO" ou Nível de Risco III: para os casos de risco alto. Considerando que ficou estabelecido o Mercado de Procuradores Digitais de Integração Urbanísticos de Integração Nacional – MURIN que será executado através de mercado competitivo e cooperativo de PDIs, em regime de livre concorrência. Considerando que o Município de São Paulo faz parte da REDESIM. Considerando o Município de São Paulo adotou o novo sistema VRE REDESIM que integra os procedimentos municipais, estaduais e federais para abertura de sua empresa, reunindo todas as informações prestadas em um único lugar. Considerando que essa Resolução esta em vigor desde 1º de janeiro de 2021, e produzirá efeitos para liberações em 1º de março de 2021, no Município de São Paulo. Considerando que estão tramitando na Câmara dos Deputados, em Brasília, dois projetos, o Projeto de Decreto Legislativo (PDL) 4/21 e o (PDL 10/21), ambos suspendem a resolução do Ministério da Economia tramita na Câmara dos Deputados Requeiro, nos termos regimentais, que seja aprovado o encaminhamento deste requerimento à SMUL - Secretaria Municipal de Urbanismo e Licenciamento para que nos encaminhe técnicos para virem expor sobre o tema, principalmente elucidando as questões abaixo, entre outras: 1. O Município irá aderir Licenciamento Urbanístico Integrado com prazo para liberações em 1º de março de 2021? Em caso positivo para o item 1: 2. Quais são as medidas que estão sendo tomadas, inclusive como será a divulgação aos munícipes? 3. Sabemos que os parâmetros técnicos para definir uma obra e edificação de BAIXO RISCO é competência dos Estados e Municípios, porem esta Resolução traz valores padrões diferentes daquelas utilizadas em nossa legislação municipal, como por exemplo, obras com até 1.750 m² e com 3 pavimentos. 4. Nos Art. 127 e Art 133 da Lei 16.402/16 que tratam de empreendimentos considerados de baixo risco só se refere ao uso e permitia que fosse instalado em edificação não regular de acordo com as definições da legislação edilícia, portanto o baixo risco era para o FUNCIONAMENTO, com as atividades listadas no Decreto nº 57.298, de 8 de setembro de 2016 através do CNAE. Já nessa resolução tratamos também a Obra. Sala da Comissão de Política Urbana, 18 de fevereiro de 2021. Aguardando agendamento
ADM 2 2021 09/03/2021
Ver. ARSELINO TATTO (PT)
Ver. ERIKA HILTON (PSOL)
Requeremos, com fundamento no inciso VIII, parágrafo 2º do artigo 32 da Lei Orgânica do Município de São Paulo, a realização de Audiência Pública sobre o Programa de Metas da Cidade de São Paulo, para que possam ser discutidas a metodologia e a participação social, com a presença das seguintes autoridades e representantes da sociedade civil: Secretário de Governo do Município de São Paulo Rubens Rizek Secretária Executiva de Planejamento e Entregas Prioritárias da Secretaria de Governo Municipal Sra. Vivian Satiro Presidente do Tribunal de Contas do Município de São Paulo (TCM-SP) Dr. João Antonio da Silva Filho Escola Superior de Gestão e Contas (TCM-SP) Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP) Rede Nossa São Paulo Sr. Igor Pantoja Fundação Tide Setúbal Sr. Pedro Marin Instituto Pólis Sr. Jorge Kayano Instituto Governo Aberto Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) Caso os convidados não possam comparecer, solicitar a indicação de representantes dos órgãos ou das organizações para a garantia de um diálogo amplo. Atendido
CCJ 2 2021 13/04/2021
Ver. CARLOS BEZERRA JR. (PSDB)
Requeiro, nos termos do art. 46, inc. V, do art. 50, II e art. 85, I, do Regimento Interno da Câmara Municipal de São Paulo, a realização de 01 (uma) audiência pública tendo por tema o Projeto de Lei nº 177/2021, de autoria do Executivo – Prefeito Bruno Covas, que institui o Programa de Parcelamento Incentivado de 2021 – PPI 2021, altera a legislação tributária municipal e dá outras providências, a ser realizada nesta Casa de Leis, por esta Comissão de Constituição, Justiça e Legislação Participativa. Em condição de pauta
CEADTLG 2 2021 07/05/2021
SGP
Ver. RODRIGO GOULART (PSD)
ECON 2 2021 25/02/2021
Ver. RICARDO TEIXEIRA (DEM)
À Comissão de Trânsito, Transporte e Atividade Econômica CONSIDERANDO ser de competência da Comissão de Trânsito, Transporte e Atividade Econômica opinar sobre as questões relativas ao Transporte Público, voltados a comunidade, dentre outras atribuições distintas; Requeiro que seja enviado um pedido de informações à Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes acerca da suspensão da gratuidade do transporte público para a população idosa, na faixa etária a partir dos 60 anos de idade . Aguardando informações
EDUC 2 2021 16/02/2021
Ver. EDUARDO MATARAZZO SUPLICY (PT)
Ver. ELISEU GABRIEL (PSB)
CONSIDERANDO o DECRETO Nº 59.283, DE 16 DE MARÇO DE 2020 - Declara situação de emergência no Município de São Paulo e define outras medidas para o enfrentamento da pandemia decorrente do coronavírus; CONSIDERANDO O Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação Contra a COVID-19; CONSIDERANDO o Decreto Nº 60.058, DE 27 DE JANEIRO DE 2021 Regulamenta a retomada das atividades presenciais dos estabelecimentos de ensino na Cidade de São Paulo, nas condições que especifica; CONSIDERANDO a Instrução Normativa SME Nº 01, DE 28 DE JANEIRO DE 2021. 6016.2021/0007430-0 Estabelece Procedimentos para a organização das unidades educacionais da rede municipal de ensino por ocasião do início do ano letivo e retorno dos Estudantes às atividades presenciais; CONSIDERANDO a PORTARIA CONJUNTA SME/SMS Nº 2, DE 29 DE JANEIRO DE 2021. 6016.2021/0008144-7 dispões sobre a criação do Comitê Municipal de Gerenciamento do retorno às aulas presenciais, no cenário de pandemia da Covid-19, para a rede Municipal de Ensino; CONSIDERANDO que, em 2020, foi instituído o Comitê Emergencial de Crise no âmbito da Comissão Ordinária de Educação, Cultura e Esportes e que o mesmo teve um papel fundamental no monitoramento das ações do poder público. Sirvamo-nos do presente para requerer, nos termos regimentais, que seja instituído de imediato, o Comitê Emergencial de Crise da Educação. Esse Comitê tem por objetivo assegurar o diálogo dos Poderes Executivo e Legislativo Municipais com os profissionais da Educação, Estudantes, CRECE, Fóruns, Entidades Representativas, Conselho Municipal e Comissão de Educação da Câmara Municipal. A função primordial do Comitê é proceder o acompanhamento e elaboração de notas técnicas a respeito das medidas adotadas pelo poder executivo no combate ao Covid-19. Agendado
EXTRA -AMBIENTE 2 2021 07/04/2021
Ver. LUANA ALVES (PSOL)
EXTRA-Dir.Human 2 2021 24/03/2021
Ver. EDUARDO MATARAZZO SUPLICY (PT)
Senhora Presidenta Vereadora Erika Hilton, De acordo com a PNAD de 2017-2018 do IBGE, a cidade de São Paulo possui 81 mil ambulantes. O número de permissões e autorizações para o comércio nas vias públicas não reflete o número de famílias que dependem desta atividade para a subsistência de suas famílias, pois muitos não as possuem e ainda assim exercem a atividade. Sabemos que vendedores ambulantes, assim como os demais trabalhadores da economia informal (catadores, diaristas, costureiras, trabalhadores de aplicativos etc.) vivem com base em ganhos diários, e não contam com direitos trabalhistas apesar de contribuírem enormemente para a economia da cidade. Com a crise gerada pela pandemia do Coronavírus, o distanciamento social e a quarentena obrigatória para os serviços não essenciais, ambulantes se viram em uma situação muito difícil, em que ficar em casa significa não ter o dinheiro para garantir o sustento de sua família, e por outro, ao tentar trabalhar nas ruas, enfrentam a repressão policial ou o risco de ficar doente. Trabalhadores mais vulneráveis tendo que escolher entre ficar em casa sem comida e sair e correr risco de vida. Temos diversas famílias de trabalhadores do comércio informal passando extrema necessidade. Apesar da solidariedade dos movimentos que vem buscando fazer vaquinhas e distribuir cestas básicas, a quantidade não é suficiente para fazer chegar comida a uma parte significativa desse enorme número de trabalhadores. A Renda Básica Emergencial aprovada nesta Casa ainda não chegou para a maioria, devido a dificuldades operacionais em conseguir requerer o benefício. REQUEIRO, nos termos regimentais, a realização de Audiência Pública na modalidade virtual com representantes da Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, Secretaria Municipal de Subprefeituras, Secretaria Municipal de Governo, Secretaria Municipal de Direitos Humanos, Secretaria Municipal de Segurança Urbana, Ministério Público do Estado de São Paulo, Ministério Público do Trabalho e representantes da sociedade civil, para tratarmos do assunto: “A pandemia em São Paulo: os desafios das(os) trabalhadoras(es) do comércio ambulante”, com a data ser definida. Em condição de pauta
EXTRA-Rel.Inter 2 2021 04/05/2021
Ver. PROFESSOR TONINHO VESPOLI (PSOL)

Total: 792«« « 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 ... » »»